Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

ÓDIOS

francisfotoPRO - Fotografia / Fotógrafo Independente - Manuel Nunes Francisco ...Google+

francisfotoPROfimagens - Manuel Nunes Francisco - Fotografia / Fotógrafo Independente ...Google+

francisfotoPROfissional - Manuel Nunes Francisco - Fotografia / Fotógrafo Independente ...Google+

https://twitter.com/francisfotoPRO

https://www.facebook.com/francisfotoPRO

francisfotodigital@gmail.com 

francisfotoPRO@gmail.com

francisfotopixel@outlook.pt

francisfotodigital@hotmail.com

francisfotoPRO@hotmail.com

francisfotodigital@outlook.com

francisfotopixel@sapo.pt

francisfotoPRO@sapo.pt

http://francisfoto.blogs.sapo.pt

http://fotos.sapo.pt/francisfotodigital

http://francisfotodigital.biz.sapo.pt/

https://www.instagram.com/francisfotopro

http://www.youtube.com/channel/UC71hszXmkJVn_oOF8DYiL_w

http://www.youtube.com/channel/UC-_lT-20bS81N9-0hUGZbgw

http://www.youtube.com/channel/UCV7Ac--0DFGqbsifn_4HkDQ

Guerras....jpg

ÓDIOS

 

Por entre tantas e demais pervertidas guerras,
Escombros, infantes mortes fora de trincheiras,
Quantas mães, quantas mulheres, já choraram,
Quantos homens ficaram sós, ou despedaçados,
Em prisões, torturados, despojados, refugiados,
Enquanto outros, na sua ganância, se banham
Em riquezas... lágrimas, sangue de tantos mais?
De olhos sofridos e em tão grandes tormentos,
Todos se esquecem de quem tanto já sofreu
Em todas essas guerras, bombardeamentos,
De quem lhes era querido e também morreu.
Quantas outras tantas almas se perderam,
Daqueles que nunca ousámos perceber
E, por essa mesma razão, pouco importa,
No nosso sereno conforto, algum parecer
E por quem nunca se deu quaisquer ais,
Na severa interrogação de tanta morte,
Pura e simplesmente entregues à sorte
E eis que de momento lhes bate à porta?...
São eles, os chacais de tamanhas carnificinas,
A culpa deste ódio, que tanto orquestraram
E da putrefacta carne que tanto os alimentou,
Sem dó nem piedade, de quantos já morreram
E pelos quais outros tantos mais se vingam...
Acordem pois, para que tudo possa mudar
E que cada mártir, que já outrora chorou,
Não sinta vício na vontade de agora matar,
Pois que se alguém tem, outro já teve irmão
E outro tanto chorou, quando seu filho partiu;
... Só que esse e tal sofrimento, ninguém viu!
Pobre e tacanho mundo este, que tanto chora
Como malfadada criança, perdida e implora,
No tormento dos seus e já desfeitos sonhos,
No afogo de tão bem manipulados contos,
Em que só os outros são maus, terroristas,
Na sombra de quem igual a eles o são,
Em camuflados movimentos e corrupção...
Que crueldade, arrogância, hipócrita ilusão!
Assim, enquanto esses senhores da guerra,
Os culpados, os impunes, subirem ao pódio,
Eu gritarei alto, do alto de qualquer serra,
Tudo o que me vai na alma, sofrido... o ódio!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D