Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

ELES NÃO SABEM...

Eles não sabem....jpg

ELES NÃO SABEM...

Eles não sabem,
Tampouco pretendem saber,
Quais as águas em que cabem
E em que fontes irão beber...
Quantos turbilhões a viver,
Em que margens são viajantes,
Confluências que temem ver
E sejam quais as variantes...
Saber, é para quem escolher,
Não para quem o saber discute,
Como segredos de mulher,
A descobrir em quanto incute...
Delícias, para quem ousar
E se atrever por tal caminho,
Saiba as fartas colinas usar,
Não querendo estar sozinho...
Sonhar é uma constante,
Rédeas de qualquer vida,
Salvo a quanto ignorante,
Sem rotas para a partida...
Como pássaro acorrentado,
Pobre ave, de asas feridas,
Sangrando sonho abastado
E tendo as patas prendidas...
Não sabem, sequer sonham,
Que o sonho é chave de tudo,
Tais sonhos em que se ponham
E a vento que não seja mudo...
Eles não sabem, tal humanidade,
Parentes do mesmo Universo,
Matando-se, em quanta vontade
E sem olharem o adverso!...
Escolhem-se e apontam almas,
Rasgando os mais belos sonhos,
Destruindo e batendo palmas,
Em prazeres deveras medonhos...
E não sabem, todos nós, meros seres,
Por esta vida, de tão inconstante,
Nem ousam entender os saberes,
Desta transitória vida e galopante!...
Sequer sabem, nem querem aprender,
Tudo e cujo sonho teima ensinar,
Livro aberto, do nato, ao compreender
E o qual preferem não disseminar ...
Não querem saber, porém, ajuízam,
Adormecidos na fornalha do tempo,
Nas apagadas chamas em que pisam,
Num ténue crepitar de ardido campo!...
Ah, quem me dera renascer,
No quanto tempo tenho pela frente
E em cada segundo espairecer,
Por tudo aquilo e ainda de ausente!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

MOMENTOS, ESSES...

Momentos, esses....jpg

MOMENTOS, ESSES...

Ah, aquela cuspidela,
Cuja nos tramou pro mundo!...
Obra de uma sequela
E projectada num segundo!...
Momentos, esses, de junção,
Partilha de sentimentos,
Confissões, mas sem oração,
Porém, ternos momentos...
Loucuras, deixando saudade,
Pelos mais meses de ansiedade
E com a natureza por vontade...
Ao mundo, o seu lançamento,
Início de qualquer tormento,
Tanto assim, é a obra da verdade!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

PORMENORES...

Pormenores....jpg

PORMENORES...

Perco-me nos pormenores,
Esses alicerces de um todo,
Bajulices de altares-mores,
Pilares de tanto meu modo!...

Tais entrelinhas minuciosas,
Escondidas na arquitectura,
Cinzeladas linhas, buliçosas,
Delineando vias de postura...

Obras, pelos pensamentos,
Saindo por entre escombros
E quantas vezes aos ombros!...

Mas não sejam ornamentos,
A pormenores da ostentação,
Porém história, à construção!...

Manuel Nunes Francisco ©®
      - Imagem da net -
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

A VIDA NUM CONTO

A vida num conto - II.jpg

A VIDA NUM CONTO

Toda a vida é um conto,
Entre a verdade e a mentira,
Feita ponto por ponto,
Em tudo aquilo que nos atira...
Pela verdade, tamanha ferida,
Na mentira, tal ilusão,
Pela estrada de tão aguerrida,
Poeirenta da confusão!...
A vida é força descontrolada,
Em tal controlo que nos faz,
Pela caminhada desmiolada...
Luta, entre todo o abrangente,
Numa corrida demais fugaz
E fugindo-nos tão de repente!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub