Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

DISCURSOS DE PAPAGAIOS...

 

Discursos de papagaios....jpg

DISCURSOS DE PAPAGAIOS...

Palra um presidente, qual papagaio,
Enquanto o povo geme, por destino,
Parasitas lançam sons, como um raio,
Pelo quanto inocentes piam de fino!...

Abutres vão sobrevoando pela calada,
Procurando vítimas e restos da carne,
Quem estrebuchar, leva uma paulada,
Deixando o corpo no maior descarne...

Discursam quantos, animais tão reles,
Enfiando palas em demasiados cegos
E espetando as esporas em tais peles...

E tantas guarnecendo quantos burros,
Mas carregando sempre os seus egos,
Ouvindo e chorando, nuns tais zurros!...

Manuel Nunes Francisco ©®
      - Imagem da net -
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

GUERRAS DE SUBSERVIENTES...

Guerras de subservientes....jpg

GUERRAS DE SUBSERVIENTES...

Guerras e piores que todas, são as mentes,
Adormecidas aos pensamentos dos demais,
Essas que vamos fazendo, na subserviência,
Pelos quais lucram tais fortunas alarmantes,
Enquanto outros vão continuando serviçais,
Entregues nessa sua tão doentia dormência!...

Guerras, vivem do pão de quantos as choram,
Cegos, ignorantes, só vendo a mesa montada,
Recheadas do sangue e lágrimas de inocentes,
Sustentando conversa fiada de quem adoram,
Mas nunca acordando, nem por tal à pedrada
E continuando no seu caminho de dormentes!...

Haja santa paciência, ao que essa gente acorde,
Em luta para que exista uma verdadeira guerra...
Guerra santa e pela paz, destroçando tanta fera,
O peixe não seja apanhado no anzol que morde,
Em que todos os homens sejam donos da Terra
E cujos disparos sejam por canhões de quimera!...

Manuel Nunes Francisco ©®
      - Imagem da net -
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

FAÇO A CAMA EM QUE ME DEITO...

Faço a cama em que me deito....jpg

FAÇO A CAMA EM QUE ME DEITO...

Sou quem faz a cama da minha maleita,
Não precisando que me lavem lençóis,
Tampouco puxem a manta, na espreita,
Sendo quem, no obscuro, tanto te róis...

Sou liberdade em pessoa, num despertar,
Espreguiçado em cada esquina desta vida
E, façam o que façam, não me vão alterar,
Nem pelo último momento e despedida!...

Faço a cama em que me deito, por prazer
E não pelo prazer de quem quer que seja,
Ao que serei, sempre, senhor do meu ser!...

Ultrapasso tantos dissidentes obstáculos,
Que não me deixo domar, ao que se veja
E nunca me agarrando a quais tentáculos!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

CAVALEIROS DO ASFALTO...

 

Mota de Peter Fonda no filme Easy Rider....jpg

CAVALEIROS DO ASFALTO...

Somos cavaleiros do asfalto,
Solitários, mas crentes da vida!...
Certamente os últimos paladinos,
Sonhadores, cheios de virtudes,
Aturando as mais reles atitudes
E quase sempre amaldiçoados!...
Quantas vezes olhados de lado,
Como se portadores de moléstia,
Por tantas estradas enxovalhados...
Orgulhosos, somos uma mera réstia,
Cavaleiros da aventura e do mundo!...
Sempre de capacete ao alto,
Lá seguimos, como se em última despedida,
Cantando e bailando os nossos hinos!...
Somos cavaleiros do ferro,
Negando o mais pequeno erro...
Audazes, olhando o azul celestial,
Pois que a meta é a batalha final!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.


ASPHALT RIDERS...

We are asphalt riders,
Lonely, but believers of life!...
Certainly the last paladins,
Dreamers, full of virtues,
Put up with the most measly attitudes
And almost always cursed!...
How many times looked sideways,
As if carriers of disease,
For so many roads rinsed...
Proud, we are a mere restia,
Adventure and world knights!...
Always wearing a helmet up,
There we follow, as if in last farewell,
Singing and dancing our hymns!...
We are knights of the iron,
Denying the slightest mistake...
Daring, looking at the heavenly blue,
For that goal is the final battle!...

Manuel Nunes Francisco ©®
All Copyrights reserved and protected pursuant to Law 50/2004 of August 24 - Author's Code. The author authorizes the sharing of this text and/or excerpts thereof, as well as the unpublished image, if any, provided that it is kept in its original formats and must be mentioned the authorship of the intellectual work.

ASNOS DE DUAS PATAS... II

Asnos de duas patas... II.jpg

ASNOS DE DUAS PATAS... II

Vagueia, pelo mundo, um animal,
Que só conta com a inteligência dele...
De tão besta, pretende ser bestial,
Por merda na mente e javarda pele!...

E haja quem os aponte, em sarcasmo,
Dedicando-lhes tal fonética de zurro!...
Portanto, me obrigam a um espasmo,
Pelo que os vejo em figura de burro!...

Isto, sem a menor ofensa aos animais,
Pois, coitados, servem-se-lhe do nome
E cantando como um bando de pardais!...

Palreiam e em tons demais desafinados,
Nos mais delicados cantadores armados,
Nessa tamanha burrice que os consome!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

DEIXEM-SE DE MERDAS!...

Deixem-se de merdas!... II.jpg

DEIXEM-SE DE MERDAS!...

Meus amigos, deixem-se de merdas,
Porque esta vida é quanta desilusão!...
Não passa de ser qualquer passagem,
Pelos manifestos caminhos da ilusão!...
Assim sendo, comam, bebam, sorriam,
Deixem-se dessas polémicas moralistas!...
Metam-se na vossa vida, não maldigam,
Curtam, fodam, mas sempre humanistas!...
E nunca se esqueçam que são visitantes,
Peregrinos desta Terra e suas estradas!...
Entendam-se espelhos de tanta imagem,
Mesmo que opaca e do mais perverso!...
Sendo o reflexo de quanto à vossa volta,
O pior animal que demais circula à solta!...
Engravatados seres, perdidos e arrogantes,
Falsas gramáticas, no mais distinto verso!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

BEBEDEIRAS DA NATUREZA

Vila de Rei - André Farinha e a paixão pela natu

BEBEDEIRAS DA NATUREZA

Embebedo-me, em tudo que vejo,
Pelas paisagens da Mãe Natureza...
Quanto mais ando, mais as desejo,
Em alegre bebedeira e tal certeza!...

Ferranho vício, talvez que doença,
Droga cerebral e qual me sustenta...
Cuja e pelo corpo adentro, avança
E contracções da alma que rebenta!...

Rendo-me, à embriaguez solitária
E recolha dos sentidos percorridos,
Na adrenalina acelerada partidária...

Essa, que não me deixa desiludido,
Nesta Terra de loucos reconhecidos
E vida, cuja não me dou por vencido!...

Manuel Nunes Francisco ©®
- Imagem de André Farinha -
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

ASNOS DE DUAS PATAS...

Asnos de duas patas....jpg

ASNOS DE DUAS PATAS...

Asnos, mas de duas patas,
São tais que mais existem!...
Por barrigas demais fartas
E que na burrice persistem!...

São burros, de palas paralelas,
Mas haja quem os contradiga!...
São fieis portadores de selas
E por qual abismo que os siga!...

São bestas, burros, sem zurrar,
Porém, são ofensa aos animais
E sem saberem onde vão parar...

Seguindo o trilho do tal abismo,
Presos de pensamento e vogais
E palreando doentio narcisismo!...

Manuel Nunes Francisco ©®
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

O PROPÓSITO DOS MÉDIA...

O propósito dos média....jpg

Avram Noam Chomsky (Filadélfia, 7 de dezembro de 1928) é um linguista, filósofo, sociólogo, cientista cognitivo, comentarista e ativista político norte-americano, reverenciado em âmbito acadêmico como "o pai da linguística moderna", também é uma das mais renomadas figuras no campo da filosofia analítica.
Chomsky é Professor Emérito em Linguística no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, e teve seu nome associado à criação da gramática gerativa transformacional. É também o autor de trabalhos fundamentais sobre as propriedades matemáticas das linguagens formais, tendo seu nome associado à chamada Hierarquia de Chomsky. Seus trabalhos, combinando uma abordagem matemática dos fenômenos da linguagem com uma crítica ao behaviorismo, nos quais a linguagem é conceitualizada como uma propriedade inata do cérebro/mente humanos, contribuem decisivamente para a formação da psicologia cognitiva, no domínio das ciências humanas.
Além da sua investigação e ensino no âmbito da linguística, Chomsky é também conhecido pelas suas posições políticas de esquerda e pela sua crítica à política externa dos Estados Unidos. Chomsky descreve-se como um socialista libertário. Identifica-se com aquilo que é modernamente compreendido como "anarcossindicalismo", havendo também quem o associe ao anarcocomunismo ou ao comunismo de conselhos.


"Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre".

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub