Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

PPC - Pensamento Popular Carneirista

PPC - Pensamento Popular Carneirista - II.jpg

PPC - Pensamento Popular Carneirista

 

O PPC - Pensamento Popular Carneirista, é um pensamento, como se partido, mas fictício, circundante aos demais partidos, cada vez mais emergente na sociedade portuguesa, em que os lambe-botas, mais designados por lambe-cus e esquecendo o que os protegidos partidos têm feito, fazem e continuarão a fazer, propagando ilusões, tais os continuam a defender, numa verdadeira caminhada carneirista e sem pensamento individual, patriótico, ou de real liberdade. Como alguém disse e bem, não vale a pena mudar de pastor, se continuarmos os mesmos carneiros... Viva Portugal, abaixo o Carneirismo! Saudações, a quantos servem Portugal, livre de quaisquer Partidos...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

 

TANTOS ARTISTAS

Tantos artistas.jpg

TANTOS ARTISTAS

 

Ah, os artistas e como temos tantos,
Artistas de teatro e políticos, da treta...
Palhaços e o espectador que os sustenta,
Batendo palmas, por iludidos espantos!
Ah, como são demasiados esses artistas,
Que falam ao palanque e representam,
Aquilo que não sabem, mas inventam
E cujos cortam, de tão convictos, as fitas!...
Arlequins, palhaços ricos, vidas galdérias,
Nas costas de quem ironicamente se riem,
Mostrando suas damas, para que encantem,
Ao que se desfilam pelas mais ricas artérias.
Ah, esses artistas, de tão bem camuflados,
Que nem despertam tantas as artimanhas,
Que apregoadas e feitas crer de façanhas
E cujos outros palhaços deixam aldrabados!
De tanto artistas que se mostram ser,
Doutorados na mais alta representação,
Escolas magistrais da maior imaginação,
Já nem escondem esse seu tão reles crer...
Palhaços, verdadeiros palhaços, tal somos,
Que batemos pedidos aplausos, masoquistas,
A quais vendedores de canastra, bairristas
E feitos nos mais subservientes mordomos.
Ah, os artistas de natos e tal morreremos,
Criticando essa arte que outros tanto são,
Morrendo, assim toda e qualquer razão,
Dessa liberdade e que nunca conhecemos...
Eles, esses palhaços, são o verdadeiro circo,
Escrevem o argumento e tal representam,
Riem, batem as palmas e nem lamentam,
Este país de palhaços e em que triste fico!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

ABAIXO QUEM NOS EXPLORA...

Discutindo o futuro do país.jpg

Abaixo quem nos explora...

 

Eu, tristemente, me confesso e na desilusão política que alastra Portugal... Eu, que até votei Bloco de Esquerda, como minha última esperança, não como bruxo, mas em consciência, prevendo uma coligação ao modelo "geringonça", numa tentativa de derrubar um (des)Governo que nos enganava e espremia, o mais que podia, em prole de interesses particulares e internacionais, vejo-me, agora, a tentar sobreviver por um outro, a que não passa de uma arrogante afronta e Ditadura de Esquerda, vingativa, inconsciente e lapidante de tudo o que já pouco restava deste pobre e iludido povo e país. O meu grito, é de revolta e de guerra, cuspindo na tromba destes merdosos (des)governantes, aproveitando-se da pouca cultura política dos portugueses, em promessas inatingíveis e patéticas, fomentando a confusão popular e criando o descrédito a quanto diz respeito a lutas sociais, contrariamente ao que deveriam defender como doutrinantes socialistas... Com o passar deste tempo, quanto me lembro, demos a volta de cento e oitenta graus, voltando a uma ditadura, desta feita, não de Direita, mas de uma arrogante Esquerda e que nos irá conduzir ao precipício final. Dito isto, viva a Liberdade, individual e democrática, viva Portugal, abaixo qualquer tipo de Ditadura, viva a perseguição directa e absoluta a qualquer seita de corruptos e falsos políticos, que nos encaminhem para a desgraça, sejam da Direita, ou da Esquerda, abaixo os lambe-botas e que tais defendem, nos mesmos conceitos de interesses e partidários!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

Pág. 4/4

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub