Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

FILHOS DA PUTA II

Filhos da puta.jpg

FILHOS DA PUTA II

 

Por nada se entre noutra razão,
Seja qual linha da compreensão:
Somos uma sociedade proscrita,
Iludida, cercados de charlatões,
Da Esquerda, Centro, ou Direita,
Qual deles o que mais espreita,
Caminhando e como escorpiões,
Tal perfeita quadrilha, maldita,
Dita de democrata, mas fadista,
Conversas de vendidos profetas
E em nobre encomenda fascista...
Somos o engodo, pelas eleições,
Assediados por quantos ladrões,
Decididos a tanto vago poleiro,
À conta do povo e seu dinheiro.
São míseros seres e proxenetas
E fodendo o povo, como se putas,
Espreitando pela mais escuridão,
Esquinas, em oferenda da ilusão,
Senhores das mais podres facetas
E em que a plebe, tal convencida,
Já quase sem forças, mas rendida,
Alinha, por ruelas da prostituição,
Sem retorno, por vias de podridão.
Obscuros iluminados, reles eleitos
E abençoados por quantos de nós,
Que e tão porcos, nos deixam sós,
Culpando-nos de quantos defeitos...
Filhos de uma irracional e tal puta,
Que nem colhões têm para a luta!
Neste triste fim, ao fim e ao cabo,
Matem-me, mas tenham coragem,
Todos... sua sósia de bandidagem!...
Mas nunca me queiram ir ao rabo!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

TELEGRAMA RECEBIDO...

Telegrama II.jpg

( Manuel Nunes Francisco ©® )

( francisfotoProfimagens ©® )

Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

INIMIGOS

Inimigos II.jpg

INIMIGOS

 

Os inimigos, são como o estrume:
Um dia, desfazem-se na terra...
Que deles, ninguém tenha ciúme,
Ou que caminhe na mesma guerra!

 

São sarampo, ou pior epidemia,
Doenças graves e que se alastram,
Fedorentas bostas, reles porcaria,
Que, à nossa volta, se encastram.

 

Havendo que lhes fazer a purga,
Espremê-los até mais não
E sem modéstia à decisão...

 

São veneno, a besta que nos suga,
Seres que nos batem à porta,
Num rodeio que lhes importa.

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

RUÍDOS E SOMBRAS

Ruídos e Sombras.jpg

RUÍDOS E SOMBRAS

 

Estes ruídos e sombras, que me perseguem
E tanto exaltadas, saídas e não sei de onde,
Penumbras, em aviso de perigo e urgência,
Pedindo rezas, ou alguma reles penitência,
Mensageiros do Inferno e quem se esconde,
Na ausência de quem, por certo, os travem...
São fantasmas, ogres, bruxas, ou lobisomens,
Que correm ao meu encalço e mui decididos,
Não de beijos, mas a cobranças convencidos,
Árbitros de penhora e sentença dos homens.
São, eles, malfeitores duma podre sociedade,
As artimanhas de tais cobranças, sem sentido
E às quais não ficarei, nem me serei rendido,
Prisioneiro destes infernos e feroz ruindade.
São trotes e galopes, de bestas dos infernos,
Carregados de contas, escritas em cadernos,
Por canetas vermelhas e cor do meu sangue,
De lutas de vencidos e razão que me zangue...
Destapo os ouvidos, removo os escuros óculos
E entro no silêncio, na escuridão destes olhos,
Tento qualquer leitura de tamanhas sombras
E recuso estes ruídos... tais severas manobras.

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub