Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

ESTA GENTE...

Esta gente.jpg 

ESTA GENTE...

 

Esta malta, que se diz gente,
Que não passam de animais,
Deveriam parar de repente,
Para pensar, como racionais...

 

Pois que há para aí tanto ser
Que no pensar são a tristeza,
Mas que se dizem demais ser
... E de tão burros na clareza.

 

São tristes figuras ambulantes,
Criações de barro e mutantes,
Acomodados ao seu caminho...

 

E tanto interrogo a questão,
Como questionando a razão...
E, eis, pelo qual sigo sozinho.

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
            ( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

SOMOS UNS "BANANAS"!!!...

Bandeira de Portugal.jpg

Bandeira Monárquica.png

https://youtu.be/DdOEpfypWQA

 

SOMOS UNS "BANANAS"!!!...

 

Esta madrugada, após a transmissão do programa Visita Guiada, penso que repetição, da Paula Moura Pinheiro, na RTP, tive pena e nojo, revolta, de ser português, tanto o que senti, ao ver a obra dos nossos antepassados, que lutaram, deram o sangue, pela Vila de Olivença... tal o que foi apresentado de esplendor Cultural existente. Somos uns "bananas", ao aceitar a vergonha imposta pelos espanhóis, não cumprindo a Convenção e Tratado de Viena de Áustria, quanto à devolução de um espaço que é, reconhecido e internacionalmente, português. Se a situação se invertesse, tenho a certeza, absoluta, porque os espanhóis têm, – desculpem! –, os colhões entre as pernas, ao que o assunto já estaria e há muito, resolvido... assim, porque temos um povo de conformismo e de merda, "bananas", começando pelos sucessivos Governos e Presidentes, Espanha caga-nos em cima, gozando connosco e cobrando impostos para Madrid, gloriando-se de um território que não o seu. A história, em tempos gloriosa, faz justiça a tal pertença, pelo que nunca restarão quaisquer dúvidas a tamanha razão... pelo que se faça justiça, não deixando que mais se arraste. Se opinamos quanto ao direito catalão, ao que defendo nos direitos dos mesmos, na íntegra, então devemos repensar ao que, interno e verdadeiramente, nos diz respeito... Sejam portugueses, quanto à história e não só discutindo futebol e outros assuntos de menor interesse e relevância... Olivença é território luso e historicamente português. Deixem correr esse sangue, que, noutras situações, dizem português... Demonstrem-no, às portas de Olivença, CARALHO!!!...


( Manuel Nunes Francisco ©® )
            ( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual. 

AQUELE AMIGO

Aquele amigo.jpg

AQUELE AMIGO

 

... Ser pai, ser mãe, é ser diferente,
É ser aquele amigo, acima de tudo...
É estar, nos momentos, presente!...
Afirmar a negação e não ser surdo.

 

... E não é ser pai, ou mãe, galinha,
Mas traçar a frontalidade da razão
Naquilo que de errado se adivinha...
Não ter medo a acutilante opinião.

 

É fazer parte dos verdadeiros amigos,
Que nos alertam nos erros, confusões,
Próprio do mais perfeito dos humanos
E nos levam ao precipício de situações.

 

Saber ajuizar, severo, a culpa da falha,
Não deixando inocentes por tal pagar,
Mesmo que não sendo de nossa malha,
Tanto que a verdade é santa de altar...

 

Ser pai, ser mãe, é preparar o futuro
E deixando, por tal, a maior herança
De toda a fortuna e de mais seguro,
Que, na eternidade, seja lembrança...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
            ( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

EU QUERO UM BANCO

Bancos.jpg

EU QUERO UM BANCO

 

Que não haja dúvida: Vou arranjar um banco!
... Escolher, comodamente, o mais belo jardim
E, acreditem, – pois estou a ser muito franco! –,
Nada mais fazer... Tenho quem olhe por mim!

 

Armar-me em proxeneta, chular uns milhões,
Viver o mundo dos espertos e dos protegidos,
Aprender com os demais... bando de ladrões!
E estender a mão... mais um dos coitadinhos!

 

Tenho que deixar de ser estúpido e inocente,
Fazer como os pobres, como faz toda a gente:
Abrir um negócio de parasitas... e de sacanas!

 

Acreditem, é a profissão de futuro... bancos!
Mas não se iludam, tão-pouco sejam parvos!...
São todos seguros... ocupados por ratazanas!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
            ( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

ESSA MAIOR RIQUEZA

Essa maior riqueza.jpg

ESSA MAIOR RIQUEZA

 

São feitas à nossa medida,
As algibeiras, quando nascemos,
Cheias, recheadas de uma vida,
Vazias e pobres, quando morremos.
Desperdiçamos qualquer futuro,
Enquanto a vida nos dura,
Fruto caído de maduro,
Cheio de podres, que o bicho fura.
Somos ricos, no aconchego de tudo...
Enormes contas bancárias
Espalhadas pelo mundo,
Nas formas mais ordinárias.
Somos tudo... egoístas, conquistadores,
Tomando opções partidárias...
E, na estupidez, doutores,
Professando secundárias.
Mestres na sementeira,
Mas péssimos agricultores,
Semeando tanta asneira,
Em terras de fartas dores...
Nesse arar de confusão,
Sobra-nos de tudo na riqueza,
... De tão pobres de coração,
Só vivemos de esperteza.
É neste desperdício da vida,
Que um dia iremos partir,
Nessa hora da despedida
E numa vontade de pedir...
De tudo quanto fizeste,
Finalmente, rogas perdão
E do que nunca tiveste...
Sempre pobre na razão!

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
            ( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

Pág. 3/3

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub