Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

francisfotopoesiaeimagem

francisfotopoesiaeimagem

FESTAS POPULARES

Festas populares.jpg

FESTAS POPULARES

 

Diz-me, meu Santo António,
Com a ajuda de São João,
Se nos resta património,
Neste país de tanto ladrão?...

 

São Pedro, dá-nos um salvador,
Que nos seja a resolução,
Que este povo morre na dor
E sem procurar a solução!...

 

Vivendo neste seu tédio,
Sofre ruas de amargura
E algo de muito sério...

 

Somos um povo conformado
E profetizando loucura,
Sem alma de um revoltado.

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

POR ESSAS ESTRADAS

Yamaha 1100 Virago 32 II.jpg

POR ESSAS ESTRADAS

 

Enrolo estradas de asfalto
E por entre túneis de pinheirais,
Com o vento que sopra bem alto
E cruzando-me com alguns pardais...
Sopros sacudindo a poeira,
Que agarrei por esse caminho
E a quem chamo de companheira,
Sempre que tanto ando sozinho.
Fala-me a brisa, ao ouvido
E para me manter mais desperto,
Para que siga no meu sentido
E sem destino de pouco certo...
Campos verdes, ou que outros vejo,
Em fuga e sempre a meu lado,
Que vão correndo a meu desejo,
Num ritmo quanto acelerado...
Encontramo-nos, lá no certo fim
E mesmo que não sabendo onde,
Sem um atraso, espera por mim
E, por tal, que nunca se esconde.
Enrola-se o Sol, com o vento,
Fazendo-se de acompanhantes
E ouvindo um qualquer lamento,
Por aventuras de viajantes.
Juntam-se luar e Universo,
Com a noite seguimos viagem,
Correndo, no sentido inverso
E por rotas de outra paisagem.
Chegado o momento de parar,
Vão-se sonhando outros destinos,
Ainda com o motor a vibrar
E em que tais planos de meninos...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( francisfotoProfimagens ©® )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

CIDADE DE ENCONTROS

Cidade de encontros.jpg

CIDADE DE ENCONTROS

 

Cidade, que não te mostrei gratidão,
Que te ofereceste e não te procurei,
Te abandonei e sem qualquer razão,
Que mui me brindaste e nada te dei.

 

Cidade, despida, que me procuraste,
Que me saciaste nessas tuas artérias
E que por estes olhos tanto brilhaste,
Menina e moça, de loucas maneiras...

 

Que me recebeste de braços abertos,
Me deixaste penetrar tuas entranhas
E a que meus olhos foram despertos.

 

Cidade e que te deste a meu escalar,
Prisioneiro de deveras tuas manhas,
Por sete colinas, nesse teu encantar...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

ESPERANÇA QUE RESTA

Esperança que resta.jpg

ESPERANÇA QUE RESTA

 

Que as florestas sejam verdes,
Mais e ao brotar da Primavera,
Fervilhando de quantos seres,
Quer do mais dócil, à pior fera...

 

Que a humanidade seja sóbria
E crente, num falar do coração,
Que tenham mente mais séria
E orgulho em estender a mão...

 

E demais animais comunguem,
Um certo espaço, com o homem
E que os ricos não resmunguem...

 

Nem se privem de humildade
E se lembrem dos que sofrem,
Nesta fútil, doentia, sociedade!...

 

( Manuel Nunes Francisco ©® )
( Imagem da net )
Todos os Direitos de Autor reservados e protegidos nos termos da Lei 50/2004, de 24 de Agosto - Código do Autor. O autor autoriza a partilha deste texto e/ou excertos do mesmo, assim como a imagem inédita, se existente, desde que mantidos nos seus formatos originais e obrigatoriamente mencionada a autoria da obra intelectual.

 

"Os 7 Bispos mártires do Comunismo na Roménia"

Os 7 Bispos mártires do Comunismo na Roménia.jpg

Rui Barandas
21 h ·

Em visita apostólica à Roménia, o Papa Francisco beatificou 7 Bispos que foram perseguidos e martirizados entre 1950 e 1970 por se terem recusado a colaborar com o regime comunista. Que o seu exemplo nos encha de fortaleza para lutar contra essa ideologia diabólica:
1. Valeriu Traian Frentiu, primeiro Bispo de Oradea, e depois Administrador Apostólico da Arquidiocese de Alba Iulia e Fagaras, foi preso em 28 de Outubro de 1948 pelo regime comunista. Ele ficou prisioneiro no campo de concentração de Dragoslavele, depois no Monastério de Caldarusani - que se tornou um centro de detenção - e, desde 1950, na penitenciária de Sighetul Marmatiei. Ele não suportou as duras condições desta última prisão e morreu a 11 de Julho de 1952. O seu corpo foi enterrado sem um caixão numa vala comum.
2. Vasile Aftenie era bispo de Ulpiana. Ele foi preso em 28 de Outubro de 1948 pelas autoridades comunistas e transferido primeiro para Dragoslavele e depois para o campo de concentração construído no Mosteiro de Caldarusani, onde foi torturado e mutilado. Por fim, ficou detido na prisão de Vacaresti, onde morreu em 10 de Maio de 1950.
3. Ioan Suciu foi bispo auxiliar de Oradea Mare e posteriormente Administrador Apostólico da Arquidiocese de Alba Iulia e Fagaras, juntamente com o Bispo Valeriu Traian Frentiu. Ele foi detido em 28 de Outubro de 1948 e seguiu o mesmo caminho que os outros bispos: primeiro ficou preso em Dragoslavele e depois no Monastério de Caldarusani. Em 1950 foi transferido para a prisão de Sighetul Marmatiei, onde foi torturado e abandonado entre a doença e a fome. Morreu em 27 de Junho de 1953 e foi enterrado numa vala comum.
4. Tit Liviu Chinezu foi preso em 28 de Outubro de 1948 juntamente com outros padres e bispos e transferido para o Mosteiro de Neamt. Foi então transferido para a prisão Caldarusani onde, a 3 de Dezembro de 1949, recebeu a sagração episcopal de outros bispos presos. Quando a notícia da ordenação chegou às autoridades comunistas, o novo bispo foi transferido para o centro penitenciário de Sighetul Marmatiei. Lá sofreu uma doença grave devido ao trabalho forçado, fome e frio. Morreu em 15 de Janeiro de 1955 e foi enterrado numa vala comum.
5. Ioan Balan foi sagrado bispo de Lugoj em 1936 e mais tarde foi nomeado bispo metropolitano. Ele foi preso em 28 de Outubro de 1948 e aprisionado em Dragoslavele e depois no Mosteiro de Caldarusani. Em Maio de 1950 foi transferido para a penitenciária de Sighetul Marmatiei. Em 1956 foi transferido para o Mosteiro de Ciorogarla, onde ficou seriamente doente. Morreu a 4 de Agosto de 1959.
6. Alexandru Rusu foi bispo de Maramure e Metropolita. Em 28 de Outubro de 1948, as autoridades comunistas levaram-no para Dragoslavele e, como outros bispos católicos, depois para o Mosteiro de Caldarusani e o Centro Penitenciário de Sighetul Marmatiei. Mais tarde foi transferido para outras prisões. Ficou doente e morreu em 9 de Maio de 1963.
7. Iuliu Hossu foi bispo da Eparquia greco-católica de Gerla, na Transilvânia. Em 28 de Outubro de 1948 foi preso pelo governo comunista e deportado para Dragoslavele. Foi então transferido para o Mosteiro de Caldarusani e depois para a prisão de Sighetul Marmatiei. Depois de passar por outros centros de detenção, foi transferido de volta para o Mosteiro de Caldarusani. Aí permaneceu encarcerado até sua morte em 28 de Maio de 1970.
(Rui Barandas - 07.06.2019)

Manuel Nunes Francisco
para
Rui Barandas‎:
"Esta publicação desrespeita os nossos Padrões da Comunidade relativamente a spam"... Rui Barandas, isto foi o que me foi advertido, quanto à sua publicação na minha página, tendo pedido revisão e sendo negado pela segunda vez, pelo que só eu tinha acesso ao visionamento. Lamento a censura, por parte do facebook… Abraço!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D